Bathory - Discografia


O Bathory se formou em março de 1983, quando Quorthon e dois amigos, o baterista, Jonas Akerlund e o baixista, Freddan Hereafter, se juntaram para tocar covers e se divertir. Mas, um ano depois, o grupo se profissionalizou e lançou seu primeiro disco, que leva o mesmo nome da banda, inspirado na condessa sanguinária Elizabeth Bathory.
    As raras apresentações ao vivo aconteceram entre 1983 e 1985, período em que foi produzido e lançado o segundo álbum da banda, “The Return”. Logo depois, a formação original se desfez e Quorthon seguiu sozinho com o Bathory.
    O reconhecimento internacional veio com o terceiro trabalho, “Under the Sign of the Black Mark”, em que todos os instrumentos foram tocados por Quorthon, exceto a bateria. Em “Blood Fire Death”, quarto disco do Bathory, há uma mudança de estilo: são incorporadas guitarras acústicas, coral e algumas letras fazem referências à mitologia nórdica. Para a gravação desse disco, foram convidados o baterista, Vvornth e o baixista, Kothaar, que fariam outras participações nos trabalhos seguintes.
     O novo estilo musical se consagra com os dois próximos álbuns: “Hammerheart” e “Twilight of the Gods” e, para celebrar os dez anos de existência, o Bathory lançou, respectivamente, em 1992 e 1993, “Jubileum” I e II, discos que trazem os maiores sucessos da banda além de sete novas canções. O próximo trabalho, só com composições inéditas é “Requiem”, que marca o retorno ao som pesado dos primeiros álbuns. As letras, escritas por Quorthon em apenas duas semanas, tratam de misticismo e morte.
     O décimo álbum do Bathory, “Octagon”, assim como “Jubileum” I e II, contrariando uma tradição da banda, não foi lançado em vinil. Foi gravado em seis meses e o único músico citado nos créditos é Quorthon. Em “Blood On Ice”, álbum definido pela crítica como uma mistura entre “Hammerheart” e “Twilight Of The Gods”, há canções gravadas em diferentes períodos, algumas entre 1988 e 1989, e outras em 1995.
Para saciar a curiosidade dos fãs, o CD também traz a história da banda, escrita por Quorthon. Na seqüência desse lançamento, o Bathory promoveu duas coletâneas com as melhores canções e algumas faixas inéditas: a primeira é “Jubileum III”, um apanhado dos últimos cinco anos e mais seis novas canções e, a segunda é “Katalog”, compilação que destaca as melhores músicas de cada álbum.
     Depois de um intervalo de seis anos sem gravar um só trabalho com músicas inéditas, o Bathory apresenta “Destroyer of Worlds”, uma mistura dos diferentes estilos já experimentados ao longo dos anos.
Os dois últimos álbuns do Bathory são “Nordland I” e “Nordland II”, épicos com letras e arranjos temáticos que narram a saga Escandinávia e comemoram os vinte anos da banda.
      A trajetória do grupo sueco chega ao fim com a morte do líder Quorthon, que faleceu em decorrência de problemas cardíacos, em Junho de 2004. Na época, ele estava em estúdio, onde já tinha escrito 15 canções para o novo álbum da banda, que provavelmente se chamaria “Dra Ballen i Gruset Grabbar”.



Bathory (1984)



Scandinavian Metal Attack (1984)



Scandinavian Metal Attack II (1984)



The Return... (1985)



Under The Sign Of The Black Mark (1987)



Blood Fire Death (1988)



Hammerheart (1990)



Twilight Of The Gods (1991)



Jubileum I (Compilação - 1992)



Jubileum II (Compilação - 1993)



Requiem (1994)



Octagon (1995)



Blood On Ice (1996)



Jubileum III (Compilação - 1998)



Katalog (Compilação - 2001)



Destroyer Of Worlds (2001)



Nordland I (2002)



Nordland II (2003)



In Memory Of Quorthon (2006)



Tributos
 In Conspiracy With Satan (1996)



Hellas Salutes The Vikings (1997)



Para mim esta banda e o Venom sao as melhores bandas que eu ja ouvi na minha vida ,uma pessoa que ouve Black Metal e me diz que nao gosta de Bathory ou Venom , pode se considerar um poser e um verme insolente !

Nenhum comentário:

Postar um comentário